noticias112 Seja bem vindo ao nosso site Jornal O Litoral!

Brasil

Bolsonaro vincula ministros do Supremo à campanha de Lula e diz que Barroso entende de terrorismo

Publicada em 12/01/2022 às 16:01h - 34 visualizações

Iander Porcella/ BRASÍLIA


Compartilhe
Compartilhar a notícia Bolsonaro vincula ministros do Supremo à campanha de Lula e diz que Barroso entende de terrorismo  Compartilhar a notícia Bolsonaro vincula ministros do Supremo à campanha de Lula e diz que Barroso entende de terrorismo  Compartilhar a notícia Bolsonaro vincula ministros do Supremo à campanha de Lula e diz que Barroso entende de terrorismo

Link da Notícia:

Bolsonaro vincula ministros do Supremo à campanha de Lula e diz que Barroso entende de terrorismo
 (Foto: Reprodução)

BRASÍLIA - A trégua entre o Supremo Tribunal Federal (STF) e o presidente Jair Bolsonaro chegou mesmo ao fim. Em entrevista nesta quarta-feira, 12, Bolsonaro acusou Alexandre de Moraes de agir fora da Constituição, disse que Luís Roberto Barroso “entende de terrorismo” e vinculou os dois magistrados à campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Palácio do Planalto.

“Quem é que esses dois pensam que são? Quem eles pensam que são? Que vão tomar medidas drásticas dessa forma, ameaçando, cassando liberdades democráticas nossas, a liberdade de expressão”, questionou o presidente em entrevista a Gazeta Brasil, um site que o apoia. “Eles têm candidato. Os dois, nós sabemos, são defensores do Lula, querem o Lula presidente.”

 

 

A retomada dos ataques de Bolsonaro à Corte ocorrem no momento em que o País registra uma inflação de 10,06%, a maior desde 2015, e a oposição argumenta que ele tenta se desviar dos problemas econômicos. O presidente criticou Moraes por ter dito, durante o julgamento da chapa Bolsonaro-Mourão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no ano passado, que houve fake news e disparos de mensagens em massa na campanha de 2018. A chapa foi absolvida, mas o ministro disse que se houver, neste ano, uma repetição do que ocorreu na última eleição, o registro pode ser cassado e os responsáveis podem ir para a cadeia. “Isso é jogar fora das quatro linhas [da Constituição]. Eu sempre joguei dentro das quatro linhas. Não se pode falar em terrorismo digital”, afirmou o chefe do Executivo.

As críticas a Barroso, por sua vez, foram motivadas por uma declaração dada ontem pelo ministro. Em um artigo, ele escreveu que a revolução digital e a ascensão das mídias sociais permitiram o aparecimento de “milícias digitais” e “terroristas verbais” que disseminam ódio, mentiras, teorias conspiratórias e ataques à democracia.

“De terrorismo ele entende. Ele defendeu o terrorista Cesare Battisti, italiano que matou quatro pessoas de bem”, afirmou Bolsonaro. “Chegando aqui no Brasil, o advogado dele foi o Luís Barroso. Um assassino, terrorista. E, dado isso aí, ele [Barroso] conseguiu, junto ao PT, ser alçado ao Supremo Tribunal Federal”, acusou.

“Qual crime eu cometi, senhor Luís Roberto Barroso? Quais foram as fake news que eu pratiquei?”, questionou o presidente.

Auge do conflito

Desde que assumiu o governo, Bolsonaro tem colecionado ataques ao STF. O auge do conflito ocorreu durante as manifestações antidemocráticas do dia 7 de setembro de 2021, quando o presidente chamou Moraes de “canalha” e disse que poderia desobedecer ordens judiciais. Na mesma semana, contudo, Bolsonaro divulgou uma carta, escrita com o auxílio do ex-presidente Michel Temer, e afirmou que as declarações ocorreram “no calor do momento”.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (84)99482-9967

Visitas: 161737
Usuários Online: 6
Copyright (c) 2023 - Jornal O Litoral - Sistema Litoral de Comunicação