noticias721 Seja bem vindo ao nosso site Jornal O Litoral!

Política

Assédio eleitoral: dono de padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com funcionários

Segundo Ministério Público do Trabalho, homem foi demitido porque não votou no candidato da preferência do patrão. Empresário disse que houve 'mal-entendido'.

Publicada em 20/10/2022 às 19:24h - 14 visualizações

Luciana Albuquerque e Walder Galvão, TV Globo e g1 DF


Compartilhe
Compartilhar a notícia Assédio eleitoral: dono de padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com funcionários  Compartilhar a notícia Assédio eleitoral: dono de padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com funcionários  Compartilhar a notícia Assédio eleitoral: dono de padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com funcionários

Link da Notícia:

Assédio eleitoral: dono de padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com funcionários
 (Foto: Messias Carvalho/MPT-10)

O dono de uma padaria do Lago Norte, em Brasília, terá que se retratar com os funcionários por ter cometido assédio eleitoral. Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), um homem foi demitido após o primeiro turno da eleições 2022 porque teria votado em um candidato oposto ao do patrão.

O assédio eleitoral é crime e acontece quando um empregador age para coagir, ameaçar ou promete benefícios para que alguém vote em determinado candidato. Na terça-feira (17), o empresário assinou um "Termo de Ajustamento de Conduta" onde se comprometeu a se retratar com os empregados que foram ameaçados ou dispensados por causa da opção de voto.

Além disso, o dono da padaria deverá cumprir uma série de outras medidas, como pregar um cartaz no comércio explicando o que é assédio eleitoral (veja mais abaixo). Na audiência no Ministério Público, ele disse que "tudo não passou de um mal-entendido".

À TV Globo, ele afirmou que "não imaginava que fosse proibido falar de política com os funcionários" e que, agora, "está ciente" e que não vai mais falar sobre o assunto.

O termo assinado pelo dono da padaria "Ilha dos Pães" com o MPT prevê ainda que o empresário não faça promessas de benefícios ou vantagens aos empregados, ou a pessoas que busquem emprego, em troca de voto para algum candidato. Além disso, o homem ficou proibido de "ameaçar, constranger ou orientar" funcionários para que eles escolham determinado candidato.

O empresário terá ainda, segundo o documento, que confeccionar um cartaz sobre o tema "assédio eleitoral no ambiente de trabalho" e fixar na padaria até o final do período eleitoral.

Um balanço do Ministério Público do Trabalho (MPT), divulgado na quarta-feira (19), aponta que as denúncias de assédio eleitoral aumentaram 58% em 24 horas. Na terça-feira, havia 447 denúncias, um dia depois, os registros subiram para 706.

A maior parte está concentrada na região Sudeste, com 284 casos. A região Sul contabiliza 212 ocorrências. Em seguida, aparecem Nordeste (118), o Centro-Oeste (48) e o Norte (44).

Denúncias de assédio eleitoral podem ser registradas no site do Ministério Público do Trabalho (MPT), (mpt.mp.br), no botão Denuncie, ou pelo aplicativo "Pardal", disponível para Android e iOS. A denúncia pode ser sigilosa.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (84)99482-9967

Visitas: 161538
Usuários Online: 2
Copyright (c) 2023 - Jornal O Litoral - Sistema Litoral de Comunicação